Conheça os coloridos murais do metrô no Bronx, em Nova York

A arte tem também seu papel político, reflexivo e, por vezes, provocador. Em Nova York, no icônico bairro do Bronx, personalidades influentes, que mudaram a história dentro de suas atividades politicas e sociais, ganharam coloridos murais em mosaico de vidro na estação de metrô 167th Street B/D. A criação é do artista Rico Gaston.

A série foi nomeada de Beacons e foi produzida com a motivação de celebrar a vida e a obra de pessoas importantes para a comunidade. São oito ícones homenageados: Gil Scott-Heron, Tito Puente, Celia Cruz, Audre Lorde, James Baldwin, Maya Angelou, Reggie Jackson e Justice Sonia Sotomayor.

Cada um dos murais foi baseado em uma fotografia original do homenageado. Na produção, são usados milhares de cascalhos e fragmentos de azulejos de vidro. É uma maneira de reconhecer cidadãos que promoveram avanços em segmentos variados como ciência, arte e cultura e política, rompendo preconceitos raciais, de gênero e as diferenças sociais.

Uma das peças homenageia a primeira juíza da Suprema Corte Hispânicaà Sonia Sotomayor, da Suprema Corte do Bronx, a primeira juíza hispano-americana a chegar à Suprema Corte americana, indicada pelo presidente Barack Obama.

Em um comunicado para a imprensa, a MTA (Metropolitan Transportation Authority), companhia que controla o metrô, destaca que “Beacons é uma celebração da energia e do espírito de indivíduos que foram influentes na comunidade do Bronx e receberam elogios positivos por suas contribuições culturais, políticas e artísticas”.

Audre Lorde foi uma escritora caribenha-americana, feminista, lésbica e ativista dos direitos civis – Foto/Reprodução
Audre Lorde foi uma escritora caribenha-americana, feminista, lésbica e ativista dos direitos civis – Foto/Reprodução