MASP exibe obras inéditas da artista Sonia Gomes

A artista mineira Sonia Gomes leva ao Masp, em novembro, a mostra “Ainda Assim Me Levanto”, inspirada no poema “Still I Rise” (ainda me levanto, em português) da poeta e ativista americana Maya Angelou, a primeira motorista de ônibus negra, em São Francisco, na década de 1940.

Serão expostas 30 esculturas e instalações inéditas feitas a partir de materiais residuais, principalmente pedaços de tecidos garimpados em brechós, enviados pelo público ou do acervo familiar. A artista costura as esculturas de próprio punho.

Sonia teve sua infância marcada pelo universo da costura e do bordado, em Caetanópolis, importante centro de manufatura têxtil em Minas Gerais. Sua produção visual remete as práticas artesanais brasileiras com amarrações, nós, patuás, trouxas e tramas.

As obras são intuitivas, segundo a artista. O ativismo está presente de forma arguciosa e carrega muito da identidade negra. Junto aos tecidos, Sonia usa também troncos de madeira em uma exposição que quer imprimir conexão com a natureza. Vale – e muito – a visita.

Sonia teve sua infância marcada pelo universo da costura e do bordado, em Caetanópolis, Minas Gerais - Foto/Reprodução MASP
Sonia teve sua infância marcada pelo universo da costura e do bordado, em Caetanópolis, Minas Gerais – Foto/Reprodução MASP

Serviço:
Sonia Gomes: Ainda Assim Me Levanto
Quando: de 13 de novembro de 2018 a 10 de março de 2019 | quarta a domingo, das 10h às 18h e terça, das 10h às 20h
Onde: Masp – Avenida Paulista, 1.578 – Cerqueira César
Ingresso: R$ 35,00 (R$ 17 meia), grátis às terças